z
zeldathemes
Meu nome é Lass e estou aqui somente para me redimir de todo o mal que causei enquanto meu corpo estava possuído por Cazeaje. E isso é só o que você precisa saber.
Lass Isolet

[Serdin]

edna-gc:

 

- E eu tenho cara de quem entende de frangos? (눈_눈) - Mal entendia como fazer um carinho, quem dera ensinar uma galinha de fogo a voar. Mas então teve uma ideia, após a pergunta dela. Ela voava, tinha uma mascote que voava, e agora queria beber. Um sorriso pequeno e pretensioso brotou em seus lábios. - Que tal um trato? - Ofereceu. - Eu pago a bebida e você me ajuda com o frango.

- Oras, você tem um, deveria entender sobre. - Seu sorriso se alastrou ainda mais com a oferta dele, ela que iria pagar se eme aceitasse a proposta, mas já que ele estava oferecendo um acordo. - É, pode ser. Conheço um lugar bom aqui perto, se quiser ir. -

- Não estava em meus planos pegar um frango como mascote. - E dentre várias vezes, Sid bicou Lass, agora nas mãos, que teve chilique nos olhos, mas não demonstrou dor. A proposta também teria seus lados bons; daria à cachaceira sua cachaça e ela o ajudaria em vários sentidos. Queria esquecer algumas coisas e lembrava-se bem de como se sentiu bem quando bebeu no navio… Difícil era suportar a ressaca depois. Mas de qualquer forma. - Vamos lá então.

- Meh, é por aqui. - Deu as costas para o albino, começando a caminhar em uma certa direção, como sempre desviando das pessoas que passavam pelo caminho. Alguns poucos minutos depois, ela chegou na porta do bar, era o mesmo que tinha levado Arme outro dia. Já foi adentrando no local sem muita cerimônia, olhando por cima do ombro pra ver se Lass ainda a acompanhava. Por fim decidiu se sentar em uma das mesas mais afastadas, num dos cantos do lugar, esperando pelo albino.
Seguia a asmodiana sem problemas, mas notava que as vezes se tornavam o centro das atenções. Afinal, uma asmodiana e um albino do tamanho de um poste andando juntos não era nada discreto. Chegando à espécie de barzinho, revezava bastante o olhar entre diversos pontos, era a primeira vez que entrava em um para beber. E aquele bando de risadas vindas de homens gordos e barbudos que fediam pinga não eram nada agradáveis. Por fim, Edna escolheu o lugar e Lass apenas a seguia. Logo uma espécie de garçom bastante sorridente -talvez estivesse bêbado- perguntou sobre o que queriam, e como o ninja não entendia nada de bebidas, deixou Edna se entender com o bebum.

- Quer algo em especial? - Perguntou assim que aquela coisa que parecia ser um garçom apareceu ali perto. Edna estava tão acostumada com aquele tipo de lugar que nem se importava mais com as pessoas que frequentavam ali e muito menos com o ambiente meio alvoroçado. 

“Rum…?” Lembrava-se do quanto havia gostado de tomá-lo no navio, mas o tanto que passou mau depois e a ressaca, não era brincadeira. “Não, não… Talvez algo mais fraco.” - Não entendo de bebidas, peça o que achar melhor. - Conforme falava, depositou a fênix sobre a mesa e ela ficou xeretando o arredor, estava bastante curiosa.

[Serdin]

edna-gc:

lassisolet:

E novamente o chilique. - Eu já joguei ele de uma árvore. - Apontou ao pássaro enquanto falava rabugento. - Ele preferiu cair no chão de preguiça do que abrir as asas e tentar voar. - Sid tentou bicar aquele dedo, mas Lass o retirou do caminho antes.

- Não foi uma ideia muito boa fazer isso com ele. - Mesmo que as vezes você aprenda certas coisas do desespero. Edna sorriu amigavelmente. - Eu poderia leva-lo no pet shop onde eu peguei a Blu, é bem perto daqui. - Sugeriu, não tinha coisas muito importantes pra fazer ali mesmo.

- Não poderemos obter mais que informações de cuidados. - Revezou o olhar entre Edna e a fadinha enquanto falava. - Ele não me dará uma poção que vai fazer esse frango voar. - E novamente Sid tentou bicá-lo pelos apelidos de mau gosto e o albino o tomou desta vez nos braços, evitando assim que sua orelha fosse ferida. - Pensei que ele pudesse treiná-lo por mim. 

- Bom, você deveria treina-lo para fortalecer as asas, dando uns pequenos pulinhos e tentar levantar voo, sabe? - Riu ao ver a reação do pequeno perante a fala de Lass, os dois eram bem divertidos juntos, já que eram dois tsuns, e tsuns eram coisas divertidas de ser ver em certos momentos. - Mas meh, quer beber? - Perguntou de forma espontânea, abrindo um largo sorriso enquanto colocava as mãos na cintura, tinha vindo ali pra isso, e por que não convidar o albino?  

- E eu tenho cara de quem entende de frangos? (눈_눈) - Mal entendia como fazer um carinho, quem dera ensinar uma galinha de fogo a voar. Mas então teve uma ideia, após a pergunta dela. Ela voava, tinha uma mascote que voava, e agora queria beber. Um sorriso pequeno e pretensioso brotou em seus lábios. - Que tal um trato? - Ofereceu. - Eu pago a bebida e você me ajuda com o frango.

- Oras, você tem um, deveria entender sobre. - Seu sorriso se alastrou ainda mais com a oferta dele, ela que iria pagar se eme aceitasse a proposta, mas já que ele estava oferecendo um acordo. - É, pode ser. Conheço um lugar bom aqui perto, se quiser ir. -

- Não estava em meus planos pegar um frango como mascote. - E dentre várias vezes, Sid bicou Lass, agora nas mãos, que teve chilique nos olhos, mas não demonstrou dor. A proposta também teria seus lados bons; daria à cachaceira sua cachaça e ela o ajudaria em vários sentidos. Queria esquecer algumas coisas e lembrava-se bem de como se sentiu bem quando bebeu no navio… Difícil era suportar a ressaca depois. Mas de qualquer forma. - Vamos lá então.

- Meh, é por aqui. - Deu as costas para o albino, começando a caminhar em uma certa direção, como sempre desviando das pessoas que passavam pelo caminho. Alguns poucos minutos depois, ela chegou na porta do bar, era o mesmo que tinha levado Arme outro dia. Já foi adentrando no local sem muita cerimônia, olhando por cima do ombro pra ver se Lass ainda a acompanhava. Por fim decidiu se sentar em uma das mesas mais afastadas, num dos cantos do lugar, esperando pelo albino.
Seguia a asmodiana sem problrmas, mas notava que as vezes se tornavam o centro das atenções. Afinal, uma asmodiana e um albino do tamanho de um poste andando juntos não era nada discreto. Chegando à espécie de barzinho, revezava bastante o olhar entre diversos pontos, era a primeira vez que entrava em um para beber. E aquele bando de risadas vindas de homens gordos e barbudos que fediam pinga não eram nada agradáveis. Por fim, Edna escolheu o lugar e Lass apenas a seguia. Logo uma espécie de garçom bastante sorridente -talvez estivesse bêbado- perguntou sobre o que queriam, e como o ninja não entendia nada de bebidas, deixou Edna se entender com o bebum.

[Serdin]

E novamente o chilique. - Eu já joguei ele de uma árvore. - Apontou ao pássaro enquanto falava rabugento. - Ele preferiu cair no chão de preguiça do que abrir as asas e tentar voar. - Sid tentou bicar aquele dedo, mas Lass o retirou do caminho antes.

- Não foi uma ideia muito boa fazer isso com ele. - Mesmo que as vezes você aprenda certas coisas do desespero. Edna sorriu amigavelmente. - Eu poderia leva-lo no pet shop onde eu peguei a Blu, é bem perto daqui. - Sugeriu, não tinha coisas muito importantes pra fazer ali mesmo.

- Não poderemos obter mais que informações de cuidados. - Revezou o olhar entre Edna e a fadinha enquanto falava. - Ele não me dará uma poção que vai fazer esse frango voar. - E novamente Sid tentou bicá-lo pelos apelidos de mau gosto e o albino o tomou desta vez nos braços, evitando assim que sua orelha fosse ferida. - Pensei que ele pudesse treiná-lo por mim. 

- Bom, você deveria treina-lo para fortalecer as asas, dando uns pequenos pulinhos e tentar levantar voo, sabe? - Riu ao ver a reação do pequeno perante a fala de Lass, os dois eram bem divertidos juntos, já que eram dois tsuns, e tsuns eram coisas divertidas de ser ver em certos momentos. - Mas meh, quer beber? - Perguntou de forma espontânea, abrindo um largo sorriso enquanto colocava as mãos na cintura, tinha vindo ali pra isso, e por que não convidar o albino?  

- E eu tenho cara de quem entende de frangos? (눈_눈) - Mal entendia como fazer um carinho, quem dera ensinar uma galinha de fogo a voar. Mas então teve uma ideia, após a pergunta dela. Ela voava, tinha uma mascote que voava, e agora queria beber. Um sorriso pequeno e pretensioso brotou em seus lábios. - Que tal um trato? - Ofereceu. - Eu pago a bebida e você me ajuda com o frango.

- Oras, você tem um, deveria entender sobre. - Seu sorriso se alastrou ainda mais com a oferta dele, ela que iria pagar se eme aceitasse a proposta, mas já que ele estava oferecendo um acordo. - É, pode ser. Conheço um lugar bom aqui perto, se quiser ir. -

- Não estava em meus planos pegar um frango como mascote. - E dentre várias vezes, Sid bicou Lass, agora nas mãos, que teve chilique nos olhos, mas não demonstrou dor. A proposta também teria seus lados bons; daria à cachaceira sua cachaça e ela o ajudaria em vários sentidos. Queria esquecer algumas coisas e lembrava-se bem de como se sentiu bem quando bebeu no navio… Difícil era suportar a ressaca depois. Mas de qualquer forma. - Vamos lá então.

[Serdin]

edna-gc:

 

Ouviu o que ela tinha a dizer e acabou tendo chilique nos olhos. Agora todos entendiam de voo menos Lass? Boa Lass, boa. Pensou até em contá-la que havia derrubado Sid no fogo e ele havia renascido assim, porém pensou que seria inconveniente demais para a ocasião. E observou também a fadinha que xeretava a fênix e fez um movimento de cabeça como se a cumprimentasse.

- Tentei várias formas e nenhuma delas serviu. - Virou o rosto de lado. Não era como se estivesse pedindo ajuda dessa vez. - Vim em busca de um Pet shop, pedir informações talvez.

Soltou um ”oh” mantendo o tipico sorriso nos lábios. - Acho que ele só precisa praticar, pular de alguns lugares altos e ir batendo as asas pra treinar. Uma hora ele consegue. -

E novamente o chilique. - Eu já joguei ele de uma árvore. - Apontou ao pássaro enquanto falava rabugento. - Ele preferiu cair no chão de preguiça do que abrir as asas e tentar voar. - Sid tentou bicar aquele dedo, mas Lass o retirou do caminho antes.

- Não foi uma ideia muito boa fazer isso com ele. - Mesmo que as vezes você aprenda certas coisas do desespero. Edna sorriu amigavelmente. - Eu poderia leva-lo no pet shop onde eu peguei a Blu, é bem perto daqui. - Sugeriu, não tinha coisas muito importantes pra fazer ali mesmo.

- Não poderemos obter mais que informações de cuidados. - Revezou o olhar entre Edna e a fadinha enquanto falava. - Ele não me dará uma poção que vai fazer esse frango voar. - E novamente Sid tentou bicá-lo pelos apelidos de mau gosto e o albino o tomou desta vez nos braços, evitando assim que sua orelha fosse ferida. - Pensei que ele pudesse treiná-lo por mim. 

- Bom, você deveria treina-lo para fortalecer as asas, dando uns pequenos pulinhos e tentar levantar voo, sabe? - Riu ao ver a reação do pequeno perante a fala de Lass, os dois eram bem divertidos juntos, já que eram dois tsuns, e tsuns eram coisas divertidas de ser ver em certos momentos. - Mas meh, quer beber? - Perguntou de forma espontânea, abrindo um largo sorriso enquanto colocava as mãos na cintura, tinha vindo ali pra isso, e por que não convidar o albino?  

- E eu tenho cara de quem entende de frangos? (눈_눈) - Mal entendia como fazer um carinho, quem dera ensinar uma galinha de fogo a voar. Mas então teve uma ideia, após a pergunta dela. Ela voava, tinha uma mascote que voava, e agora queria beber. Um sorriso pequeno e pretensioso brotou em seus lábios. - Que tal um trato? - Ofereceu. - Eu pago a bebida e você me ajuda com o frango.

[Serdin]

edna-gc:

- Sossegue. - Bufou. Qual era o problema dele com Edna? Talvez quisesse roubar seus elásticos de cabelo e sair voando e… Não pera. - Ele ainda não sabe voar e às vezes parece se esquecer disso. - Comentou.

Edna riu, levantando a mão até a ave para tocar levemente o seu bico. - Ele cresceu bastante, ficou bem bonito. - Blu ousou se aproximar um pouco da ave, a rodeando de forma meio aleatória. - E bom, aprender a voar exige pratica, eu mesma trabalhei duro pra isso. - Blu assentiu com a cabeça, sussurrando um ”uhum” enquanto voltava para o ombro de Edna. - E essa é a Blu. - 

Ouviu o que ela tinha a dizer e acabou tendo chilique nos olhos. Agora todos entendiam de voo menos Lass? Boa Lass, boa. Pensou até em contá-la que havia derrubado Sid no fogo e ele havia renascido assim, porém pensou que seria inconveniente demais para a ocasião. E observou também a fadinha que xeretava a fênix e fez um movimento de cabeça como se a cumprimentasse.

- Tentei várias formas e nenhuma delas serviu. - Virou o rosto de lado. Não era como se estivesse pedindo ajuda dessa vez. - Vim em busca de um Pet shop, pedir informações talvez.

Soltou um ”oh” mantendo o tipico sorriso nos lábios. - Acho que ele só precisa praticar, pular de alguns lugares altos e ir batendo as asas pra treinar. Uma hora ele consegue. -

E novamente o chilique. - Eu já joguei ele de uma árvore. - Apontou ao pássaro enquanto falava rabugento. - Ele preferiu cair no chão de preguiça do que abrir as asas e tentar voar. - Sid tentou bicar aquele dedo, mas Lass o retirou do caminho antes.

- Não foi uma ideia muito boa fazer isso com ele. - Mesmo que as vezes você aprenda certas coisas do desespero. Edna sorriu amigavelmente. - Eu poderia leva-lo no pet shop onde eu peguei a Blu, é bem perto daqui. - Sugeriu, não tinha coisas muito importantes pra fazer ali mesmo.

- Não poderemos obter mais que informações de cuidados. - Revezou o olhar entre Edna e a fadinha enquanto falava. - Ele não me dará uma poção que vai fazer esse frango voar. - E novamente Sid tentou bicá-lo pelos apelidos de mau gosto e o albino o tomou desta vez nos braços, evitando assim que sua orelha fosse ferida. - Pensei que ele pudesse treiná-lo por mim. 

  #pagar cachaça pra Diná    #e-  

[Serdin]

edna-gc:

 

- Eai. - Ela ergueu a mão como comprimento para o albino, se lembrava vagamente da conversa que tivera com ele dentro do navio que usaram para lutar contra o dragão azul, mas não tinha muita intimidade com ele e só tinha o visto pelo QG algumas vezes. Ela mirou seu olhar na fênix, aquela ave era mesmo o Sid que tinha conhecido antes? Ela sorriu, se fosse, ele tinha se tornado um pássaro bem bonito. 

Observou que ela tinha uma fadinha azul e com vestidinho frufru, deduzindo que fosse sua mascote. Quem mais havia aderido à ideia de conseguir uma mascote? Mas agora que havia praticamente “chamado” a asmodiana dentro daquela enorme província, pensava no que poderia falar ou fazer. Sid começou a ficar agitado demais em seu ombro e Lass teve que contê-lo, colocando a mão nas costas da ave.

- Sossegue. - Bufou. Qual era o problema dele com Edna? Talvez quisesse roubar seus elásticos de cabelo e sair voando e… Não pera. - Ele ainda não sabe voar e às vezes parece se esquecer disso. - Comentou.

Edna riu, levantando a mão até a ave para tocar levemente o seu bico. - Ele cresceu bastante, ficou bem bonito. - Blu ousou se aproximar um pouco da ave, a rodeando de forma meio aleatória. - E bom, aprender a voar exige pratica, eu mesma trabalhei duro pra isso. - Blu assentiu com a cabeça, sussurrando um ”uhum” enquanto voltava para o ombro de Edna. - E essa é a Blu. - 

Ouviu o que ela tinha a dizer e acabou tendo chilique nos olhos. Agora todos entendiam de voo menos Lass? Boa Lass, boa. Pensou até em contá-la que havia derrubado Sid no fogo e ele havia renascido assim, porém pensou que seria inconveniente demais para a ocasião. E observou também a fadinha que xeretava a fênix e fez um movimento de cabeça como se a cumprimentasse.

- Tentei várias formas e nenhuma delas serviu. - Virou o rosto de lado. Não era como se estivesse pedindo ajuda dessa vez. - Vim em busca de um Pet shop, pedir informações talvez.

Soltou um ”oh” mantendo o tipico sorriso nos lábios. - Acho que ele só precisa praticar, pular de alguns lugares altos e ir batendo as asas pra treinar. Uma hora ele consegue. -

E novamente o chilique. - Eu já joguei ele de uma árvore. - Apontou ao pássaro enquanto falava rabugento. - Ele preferiu cair no chão de preguiça do que abrir as asas e tentar voar. - Sid tentou bicar aquele dedo, mas Lass o retirou do caminho antes.

[Serdin]

edna-gc:

lassisolet:

edna-gc:

 

”Eeednaa, ele ta acenando pra cá.” Blu puxou uma das tranças de seu cabelo, e ela novamente direcionou o olhar pra onde tinha visto o albino. - Aquilo ali é o Sid…? - Ela ajeitou os óculos, tentando focar melhor a visão na coisinha amarelada no ombro de Lass, ele parecia bem diferente desde a ultima vez que o vira. 

Primeiramente ela acenou de volta, de uma forma meio timida, e depois decidiu se aproximar, desviando das pessoas que estavam pela rua para chegar até o albino. 

E por sorte, segundos depois, Edna devolveu seu aceno. Esperou com que ela se aproximasse, com o semblante limpo de expressões. Por fora estava indiferente, mas por dentro pensamentos começavam a perturbá-lo e conseguiam ser mais barulhentos que a multidão. Já a fênix pareceu animada com a aproximação e ficava movendo a cabeça pra cima e pra baixo, à espera da asmodiana.

- Eai. - Ela ergueu a mão como comprimento para o albino, se lembrava vagamente da conversa que tivera com ele dentro do navio que usaram para lutar contra o dragão azul, mas não tinha muita intimidade com ele e só tinha o visto pelo QG algumas vezes. Ela mirou seu olhar na fênix, aquela ave era mesmo o Sid que tinha conhecido antes? Ela sorriu, se fosse, ele tinha se tornado um pássaro bem bonito. 

Observou que ela tinha uma fadinha azul e com vestidinho frufru, deduzindo que fosse sua mascote. Quem mais havia aderido à ideia de conseguir uma mascote? Mas agora que havia praticamente “chamado” a asmodiana dentro daquela enorme província, pensava no que poderia falar ou fazer. Sid começou a ficar agitado demais em seu ombro e Lass teve que contê-lo, colocando a mão nas costas da ave.

- Sossegue. - Bufou. Qual era o problema dele com Edna? Talvez quisesse roubar seus elásticos de cabelo e sair voando e… Não pera. - Ele ainda não sabe voar e às vezes parece se esquecer disso. - Comentou.

Edna riu, levantando a mão até a ave para tocar levemente o seu bico. - Ele cresceu bastante, ficou bem bonito. - Blu ousou se aproximar um pouco da ave, a rodeando de forma meio aleatória. - E bom, aprender a voar exige pratica, eu mesma trabalhei duro pra isso. - Blu assentiu com a cabeça, sussurrando um ”uhum” enquanto voltava para o ombro de Edna. - E essa é a Blu. - 

Ouviu o que ela tinha a dizer e acabou tendo chilique nos olhos. Agora todos entendiam de voo menos Lass? Boa Lass, boa. Pensou até em contá-la que havia derrubado Sid no fogo e ele havia renascido assim, porém pensou que seria inconveniente demais para a ocasião. E observou também a fadinha que xeretava a fênix e fez um movimento de cabeça como se a cumprimentasse.

- Tentei várias formas e nenhuma delas serviu. - Virou o rosto de lado. Não era como se estivesse pedindo ajuda dessa vez. - Vim em busca de um Pet shop, pedir informações talvez.

[Serdin]

edna-gc:

 

”Eeednaa, ele ta acenando pra cá.” Blu puxou uma das tranças de seu cabelo, e ela novamente direcionou o olhar pra onde tinha visto o albino. - Aquilo ali é o Sid…? - Ela ajeitou os óculos, tentando focar melhor a visão na coisinha amarelada no ombro de Lass, ele parecia bem diferente desde a ultima vez que o vira. 

Primeiramente ela acenou de volta, de uma forma meio timida, e depois decidiu se aproximar, desviando das pessoas que estavam pela rua para chegar até o albino. 

E por sorte, segundos depois, Edna devolveu seu aceno. Esperou com que ela se aproximasse, com o semblante limpo de expressões. Por fora estava indiferente, mas por dentro pensamentos começavam a perturbá-lo e conseguiam ser mais barulhentos que a multidão. Já a fênix pareceu animada com a aproximação e ficava movendo a cabeça pra cima e pra baixo, à espera da asmodiana.

- Eai. - Ela ergueu a mão como comprimento para o albino, se lembrava vagamente da conversa que tivera com ele dentro do navio que usaram para lutar contra o dragão azul, mas não tinha muita intimidade com ele e só tinha o visto pelo QG algumas vezes. Ela mirou seu olhar na fênix, aquela ave era mesmo o Sid que tinha conhecido antes? Ela sorriu, se fosse, ele tinha se tornado um pássaro bem bonito. 

Observou que ela tinha uma fadinha azul e com vestidinho frufru, deduzindo que fosse sua mascote. Quem mais havia aderido à ideia de conseguir uma mascote? Mas agora que havia praticamente “chamado” a asmodiana dentro daquela enorme província, pensava no que poderia falar ou fazer. Sid começou a ficar agitado demais em seu ombro e Lass teve que contê-lo, colocando a mão nas costas da ave.

- Sossegue. - Bufou. Qual era o problema dele com Edna? Talvez quisesse roubar seus elásticos de cabelo e sair voando e… Não pera. - Ele ainda não sabe voar e às vezes parece se esquecer disso. - Comentou.

[Serdin]

Durante poucos dias tediosos na carruagem, finalmente Lass chegou em Serdin. Não tinha muito dinheiro na carteira, mas acreditava que seria o bastante para treinar a fênix tsundere com o tio do pet shop. Ao sair da carruagem, vestiu a capa com capuz, mas manteve Sid sobre um dos ombros, não fazendo tanta questão de se ocultar. Também não fazia tanta questão de observar a multidão e o que os comerciantes diziam… Mas aquele dia resolveu mudar e olhar mais o arredor ao invés de se privar somente em seu mundo, como sempre fazia.

Entre a observação, encontrou uma mocinha alta e com tranças rosadas, junto de uma fadinha. Havia passado alguns minutos conversando com alguém assim no Immortal Defiant… Ah, claro! A asmodiana. Como chegar nela seria a questão. A fênix a reconheceu e bicou o capuz de Lass, avisando-o sobre ela também, como se pedisse para se aproximar. À contragosto - embora lá no fundo quisesse alguém pra passar o tempo -, tentou acenar. Se ela não visse, não tinha um plano B. A não ser se esse fosse “Se aproximar como quem não quer nada, mas quer”.

”Eeednaa, ele ta acenando pra cá.” Blu puxou uma das tranças de seu cabelo, e ela novamente direcionou o olhar pra onde tinha visto o albino. - Aquilo ali é o Sid…? - Ela ajeitou os óculos, tentando focar melhor a visão na coisinha amarelada no ombro de Lass, ele parecia bem diferente desde a ultima vez que o vira. 

Primeiramente ela acenou de volta, de uma forma meio timida, e depois decidiu se aproximar, desviando das pessoas que estavam pela rua para chegar até o albino. 

E por sorte, segundos depois, Edna devolveu seu aceno. Esperou com que ela se aproximasse, com o semblante limpo de expressões. Por fora estava indiferente, mas por dentro pensamentos começavam a perturbá-lo e conseguiam ser mais barulhentos que a multidão. Já a fênix pareceu animada com a aproximação e ficava movendo a cabeça pra cima e pra baixo, à espera da asmodiana.

[Serdin]

edna-gc:

Depois de alguns dias tediosos no QG, Edna e Blu decidiram que seria uma boa sair do QG, já que Edna não via nada de muito interessante ali, e tinha um tempo que ela não sentia gosto de álcool.
As duas foram voando para Serdin, o jeito mais rápido que Edna conhecia pra ir a qualquer lugar.
Já na província, Edna se pôs a andar na procura de alguma taberna por ali, o que não seria muito difícil, já que Serdin era cheia delas.
“Hey Edna, aquele moço ali não é o dono do piupiu?”
Edna se virou para olhar na direção em que a fada apontava. Então percebeu que era Lass, e pelo pouco que conhecia dele, sabia que ele não gostava de ser incomodado e preferia ficar na dele. - Meh, talvez não devêssemos incomoda-lo. - Ela continuou andando e Blu deu de ombros, a seguindo.

Durante poucos dias tediosos na carruagem, finalmente Lass chegou em Serdin. Não tinha muito dinheiro na carteira, mas acreditava que seria o bastante para treinar a fênix tsundere com o tio do pet shop. Ao sair da carruagem, vestiu a capa com capuz, mas manteve Sid sobre um dos ombros, não fazendo tanta questão de se ocultar. Também não fazia tanta questão de observar a multidão e o que os comerciantes diziam… Mas aquele dia resolveu mudar e olhar mais o arredor ao invés de se privar somente em seu mundo, como sempre fazia.

Entre a observação, encontrou uma mocinha alta e com tranças rosadas, junto de uma fadinha. Havia passado alguns minutos conversando com alguém assim no Immortal Defiant… Ah, claro! A asmodiana. Como chegar nela seria a questão. A fênix a reconheceu e bicou o capuz de Lass, avisando-o sobre ela também, como se pedisse para se aproximar. À contragosto - embora lá no fundo quisesse alguém pra passar o tempo -, tentou acenar. Se ela não visse, não tinha um plano B. A não ser se esse fosse “Se aproximar como quem não quer nada, mas quer”.